28/03/2013

PEQUENOS GRANDES ESTÁDIOS

Com o incidente no Engenhão, o  Estádio da Cidadania
 será o principal estádio do Campeonato Carioca
O recente incidente envolvendo o Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhão, acabou obrigando que os principais jogos do campeonato estadual fossem transferidos para a cidade de Volta Redonda. Essa mudança confirma a necessidade, que há muito tempo toda a equipe da Estádios e Arenas vem defendendo, ou seja, mesmo os estádios de médio e pequeno porte necessitam estar preparados para eventualidades  como essa e passem a ser opções viáveis para a realização de eventos.

Não é a primeira vez que importantes jogos precisam sair das principais praças esportivas do país. Recentemente, o Fluminense conquistou de forma antecipada o campeonato nacional na cidade de Presidente Prudente por exemplo, devido a uma punição ao Palmeiras. Situações como essas evidenciam a
Presidente Prudente foi palco da
conquista do Fluminense em 2012
necessidade de que esses estádios também precisam se modernizar, obviamente dentro de suas limitações, para atender não apenas os clubes de menor investimento, mas também os grandes clubes em situações emergenciais, como a que passa o Rio de Janeiro atualmente.

Na ausência do Engenhão e do Maracanã e devido à complicações técnicas em São Januário, que  de acordo com laudo da Polícia Militar, não oferece condições de segurança para receber clássicos, a cidade não conta com nenhuma arena preparada para receber partidas que envolvam duas grandes torcidas.


Em 2005 a Arena Petrobras foi uma boa solução,
que poderia ser opção nos dias de hoje
 A solução para este problema seria a revitalização de estádios hoje tidos como obsoletos. Podemos citar como exemplo a Arena Petrobras, criada provisoriamente para atender a ausência do Maracanã, em 2005, onde tradicionalmente está situado o estádio Luso Brasileiro, que pertence à Portuguesa Carioca, na Ilha do Governador. Caso este projeto fosse reeditado de forma definitiva, hoje os torcedores cariocas certamente teriam a possibilidade de assistir partidas em um estádio de médio porte, porém com todo o conforto e segurança necessária. É bem verdade que não é simples tocar um projeto de construção (ou revitalização) de um estádio. Inclusive esta arena definitiva no Estádio Luso Brasileiro só não foi à frente devido à divergências políticas no clube que o administra.

De qualquer forma fica o questionamento no ar. Será que os pequenos estádios do país não poderiam também se modernizar para que se tornem excelentes opções para jogos de menor porte, realização de eventos culturais ou até mesmo centros de treinamentos, gerando retorno financeiro e esportivo?  

* Por Rodrigo Calvoso


Leia Mais ►

27/03/2013

UEFA NO BRASIL


Neste último fim de semana tive a oportunidade de visitar a Trophy Tour da UEFA Champions League, promovido pela Heineken no Rio de Janeiro, abaixo relatarei um pouco da experiência vivida, além de destacar como esta empresa vem potencializando seus patrocínios com ações inovadoras. 


Começo falando sobre o evento, que foi impecável, aliando história a tecnologia, e proporcionando ao visitante a possibilidade de aprender ou rever momentos que marcaram a competição e foi assistido por milhões de pessoas pela televisão.

Desde o início da exposição um guia o acompanha com um tablet, e todas as imagens expostas são dotadas do mecanismo de realidade ampliada, na qual, ao direcionar o aparelho para ela é apresentada a história  da mesma. Quer um exemplo? Ao apontar o Tablet para a imagem do artilheiro do Real Madri, Raul, aparecem os seus 71 gols, recorde até hoje na liga. 

Caso você prefira, pode baixar o aplicativo da exposição, e, assim dispensar a presença do guia. O ponto alto sem dúvida é a exposição da Taça, sendo permitido a todos os presentes tirar fotos ao lado do objeto de desejo dos principais jogadores de futebol do mundo, além disso, no final ainda é possível saborear uma deliciosa Heineken antes de ir embora.

Ver este tipo de ação ocorrendo aqui no Brasil me deixa muito esperançoso com uma perspectiva de mudança no cenário atual, que sempre destacamos aqui, tendo em vista a necessidade de um patrocinador otimizar sua exposição e se relacionar com o público.

 Não a toa o Brasil foi escolhido para ser uma das sedes deste evento. Com queda nas vendas na Europa, devido a crise econômica que assola o continente, a Heineken busca expandir seu mercado no Países emergentes, que atingiram crescimento de 47% desde 2011. Além disso, entre as classes A e B, 25% dos jovens e adultos consomem cervejas premium, o grande desafio para a empresa é o consumo de cervejas diferenciadas que vem crescendo na classe C.

Com base nos dados acima, podemos evidenciar que foi realizado um estudo que permite ao patrocinador conhecer o seu consumidor, e, desta maneira criar uma ação de identificação com a marca que realmente alcance seus objetivos.

Como já citamos em diversos posts anteriores, destaco em especial o que envolve a relação entre a Pepsi e a NFL, onde
não basta expor sua marca na camisa de um clube, nas placas de um estádio, campeonato ou adquirir naming rights, se você quiser obter realmente sucesso e alavancar a sua marca, terá que saber quem é seu público, como pretende atingi-lo, qual resultado espera da abordagem e desenvolver um conjunto de ações que aliados ao patrocínio irão lhe representar crescimento!

* Por Mario Bini



Leia Mais ►

21/03/2013

CADA VEZ MAIS PRÓXIMOS


Caros amigos, hoje escrevo sobre mais uma ação de aproximação de um clube com o seu torcedor, seu mais valioso patrimônio.

O exemplo dessa vez vem da Inglaterra, mais precisamente do Middlesbrough FC, que hoje está na Segunda Divisão da liga daquele país. Após inúmeras reclamações dos torcedores sobre a prática de altos preços nos dias de jogos do clube dentro do próprio estádio, o Riverside Stadium, a direção decidiu que já na próxima temporada irá fazer duas ações para aproximar seus torcedores e fiéis consumidores. 

A primeira delas será a distribuição gratuita de uma bebida dentre as servidas no cardápio, que inclui vinho, cerveja, refrigerante e bebidas locais, independente do ingresso que o torcedor possua. Uma ótima ideia, se levarmos em conta que possuindo restaurantes dentro do estádio e que a cultura local é de fazer do jogo um evento em família. Além da relação clube e torcedor, a tradição de passar a paixão de pai para filho, acaba gerando um tratamento diferenciado, como um presente pela presença, por desfrutar da companhia e privilégio da presença em sua casa, para ser parte importante e não só integrante.

A segunda ação consiste na gratuidade para os responsáveis com os filhos menores de onze anos de idade e idosos, estes terão ainda uma área reservada, a Generation Red Family Zone, que ficará localizada na parte nordeste do estádio.

 Vemos nessas duas ações que o objetivo do clube é cada vez mais aproximar, tratar o melhor possível, criar laços cada vez maiores, para que unidos possam conseguir seus objetivos. Gerando renda para o clube devido a este tratamento diferenciado, satisfação no seu torcedor por ver sua paixão valorizada pelo time, o que certamente retornará para a entidade de forma bem maior do que os lucros com os preços altos tão somente, valorização e união.

* Por Allan Benigno
Leia Mais ►

20/03/2013

UM MILHÃO NA ESPERA


Um milhão de pessoas. Esse é o tamanho da fila de espera dos torcedores que querem assistir ao confronto do PSG contra o Barcelona. 

De acordo com os gestores do Parque dos Príncipes, na França, cerca de 25 mil pessoas garantiram seus bilhetes para toda a temporada, outros 5 mil serão reservados serão reservados para a UEFA, restando assim pouco menos de 15 mil ingressos, levando em conta que a capacidade total do estádio é de 45 mil pessoas.

Diante deste cenário, os parisienses não pensaram duas vezes e acamparam na porta das bilheterias para conseguir o sonhado ingresso. De acordo com o diretor do clube aproximadamente 1 milhão de pessoas estão tentando assistir o confronto contra os espanhóis, mas apenas alguns sortudos serão contemplados.

O jogão válido pela Champions League acontecerá no dia 2 de abril e certamente estará com a lotação esgotada. 
Leia Mais ►

19/03/2013

EM BUSCA DO MUNDO


Com a proximidade da Copa do Mundo Fifa 2014, e a construção das novas Arenas multiuso, finalmente os clubes brasileiros estão abrindo o olho para o mercado do futebol, começando a perceber que seu obsoleto esquema de obtenção de receitas está ultrapassado, e, estão perdendo muito dinheiro concentrando sua obtenção de lucro somente em patrocínios, venda de atletas, cotas de TV e bilheterias. Dentre as “novas” modalidades iremos abordar neste post a internacionalização da marca!

Para tornar sua marca mundialmente conhecida e admirada, fator preponderante para arrecadação de qualquer clube de futebol, são necessários diversos requisitos, que vão da contratação de astros do futebol a reformulação do calendário  do futebol brasileiro, elencarei todas as mudanças que entendo necessárias para tornar clubes como Flamengo e Corinthians em potencias mundiais como Real Madri e Barcelona:

Seedorf expôs a marca do Botafogo em todo o  mundo
1) Contratação de craques – Este item devido ao crescimento econômico brasileiro  já ocorre, diferentes de anos anteriores já temos jogadores de alto nível atuando por aqui, como Neymar, Seedorf, Deco e Fred. 

2) Reformulação do calendário – O torcedor que irá consumir futebol brasileiro, precisa acompanha-lo, para isso, precisamos adequar nosso calendário ao Europeu, possibilitando realização de pré-temporada e amistosos no mercado em que se tenha interesse, para permitir o contato do clube com a população. O Real Madri por exemplo após a contratação de David Beckham, foi para a China e se tornou um fenômeno de vendas, criando um legião de fãs.

3) Transmissão de TV – Por que não realizar 2 jogos por rodada de manhã permitindo que o público mundial assista ao vivo, prática comum na Europa, e, de muito sucesso. Além disso ainda temos o benefício do aumento da venda de direito de transmissões para fora do Brasil.

4) Ações de aproximação – Despertar na população o interesse pelo clube através de ações e eventos que demonstrem o interesse do clube em agrada-los. O Milan por exemplo realiza com muito sucesso o seu Camp no Brasil, que vem a ser uma colônia de Férias temática para crianças e jovens, principal alvo de todos, pois tem uma vida inteira para consumir produtos. O PSG lançou recentemente seu site em português, outra bela iniciativa. 

5) Distribuição – De nada adianta dar conhecimento e causar admiração no mundo, não tendo pontos de distribuição de produtos, tente achar produtos dos principais clubes brasileiros na Europa, Ásia e Estados Unidos  e você perceberá que quase não existem.

Promovendo essas mudanças já teremos uma alteração significativa no processo de internacionalização, porém, um alerta que se faz necessário, o objetivo a ser alcançado é tornar-se o segundo time de cada torcedor do Real Madri, Barcelona, Inter de Milão, Bayern e ao redor do mundo. 

* Por Mario Bini
Leia Mais ►

18/03/2013

SÓ PARA "QUEBRAR O GALHO"



Quando dinheiro deixa de ser um problema a tendência é que o projeto de uma nova arena ande rapidamente. Pelo menos em tese, pois não é isso que acontece com a equipe do Anji, de propriedade do bilionário russo Suleyman Kerimov e onde o atacante Samuel Eto´o joga hoje em dia.  

Percebendo o crescimento do futebol na região, a direção do clube notou que o seu acanhado estádio, que comportava cerca de 15.000 torcedores, estava ficando pequeno e por isso concluiu que havia a necessidade de buscar um novo espaço para que o time pudesse jogar e oferecer conforto aos seus clientes. Logo foi idealizada uma arena com capacidade para 40.000 pessoas dentro dos melhores padrões europeus. Como já informamos anteriormente, dinheiro nunca foi problema, a dificuldade foi encontrar o local ideal e um terreno disponível para o desenvolvimento da ideia. Até agora não se sabe exatamente onde este estádio será erguido, pois tudo segue guardado a sete chaves. 

Porém, como esse processo pode levar muito tempo até ser concluído, a direção do Anji resolveu que a solução indicada seria ampliar o seu estádio, mesmo sabendo que essa ação visa atender o público apenas temporariamente.

Os torcedores do Anji participaram dos testes da arena
 Após a solução mais rápida ser concluída, no último final de semana a equipe reabriu a Anji Arena, que agora está apta a receber pouco mais de 26.000 torcedores, quando enfrentou o Krylya Sovetov e empatou por 1 a 1. Mesmo sendo um estádio “provisório” os apaixonados pela equipe, que conta com o ex lateral da seleção brasileira Roberto Carlos em sua direção, abraçaram a reformulada arena e participaram inclusive de testes antes da inauguração oficial e fizeram uma bela festa para a volta da equipe à sua casa. 

Resta esperar agora quando o projeto da arena definitiva será anunciado. De qualquer forma, como podemos assistir no vídeo abaixo do primeiro treino do time na reformada Anji Arena, eles não tem nada do que reclamar das novas instalações.

video
* Por Rodrigo Calvoso
Leia Mais ►

14/03/2013

COISA DE CINEMA


O post a seguir vem da Holanda, mais precisamente do Amsterdam Arena, e, pode ser considerado um excelente exemplo do conceito de Arenas multiuso.

Muito comum na década de 80 aqui no Brasil, os cinemas drive in praticamente foram abolidos do território nacional. Para quem não conhece, neste tipo de cinema você assiste ao filme no interior de seu automóvel, o que torna o programa extremamente romântico, perfeito para casais que desejam sair da rotina, tornando o que seria mais uma ida ao cinema, num programa diferente. 

Foi exatamente isso que os gestores da arena, em parceria com diversos patrocinadores idealizaram e produziram na premiere do filme Prince of Persia, porém como atualmente o público exige entretenimento do começo ao fim de seus programas, essas parcerias proporcionaram diversas experiências que extrapolaram a simples exibição de um filme, incluindo, uma apresentação de um carro em 3D que voava em frente a tela. Perceba no vídeo abaixo que o público tinha diversão disponibilizada pelos patrocinadores, com o intuito de divulgar suas marcas e produtos.

Podemos citar como exemplo de possíveis parceiros para este empreendimento, além das distribuidoras e produtoras de cinema, uma montadora interessada em lançar um automóvel, redes de fast food, multinacionais de eletrônica para garantir o som e a exibição do filme, e, qualquer outra empresa que tenha criatividade e qualidade para divulgar seus produtos.

Não bastassem todos os atrativos acima expostos, podemos imaginar ainda o aproveitamento de camarotes para os que desejam mais conforto e privacidade, tornando este ambiente em verdadeiras salas de cinema particulares, com atendimento diferenciado.

Este tipo de ação, muito comum na Europa e nos Estados Unidos, evidencia a necessidade de investimento em equipamentos que permitam a realização destes eventos. É crucial a aquisição de coberturas resistentes para não danificar o gramado, e, diversos outros acessórios, para garantir que o espetáculo não prejudique o futebol.

video
* Por Mario Bini
Leia Mais ►

11/03/2013

CERVEJA LIBERADA


 Uma discussão que já toma bastante tempo nos debates ganhou mais um capítulo nesta semana. O assunto desta vez é a volta da liberação da venda de cerveja nos estádios do Rio de Janeiro.

De acordo com as notícias divulgadas antes mesmo da publicação no site oficial da Federação de Futebol do Rio de Janeiro, os torcedores poderão comprar esses produtos no interior dos estádios entre 2 horas antes do início das partidas até 15 minutos antes do início das mesmas e durante o intervalo, já a partir da próxima rodada do campeonato estadual. Por outro lado, a venda segue proibida nas arquibancadas, cadeiras ou tribunas especiais. Vale lembrar que esta lei valerá apenas para as competições organizadas pela Ferj e caberá ao mandante do jogo a realização da venda ou não.

Já discutimos algumas vezes esse tema por aqui e a conclusão sempre foi a mesma, ou seja, de nada adianta proibir a venda das bebidas alcoólicas  se a impunidade entre os maus torcedores permanecer inalterada.

Soa até como hipocrisia essa proibição, pois em diversos pontos do país o consumo segue inabalado nos arredores das arenas esportivas, o que para os seus gestores representa um significativo prejuízo, pois o torcedor deixa de acessar o estádio e assim realizar o consumo nos bares licenciados e ter contato com os patrocinadores oficiais do evento.

Outro prejuízo que esta ação cria é a dificuldade de acesso, pois uma grande quantidade de torcedores entra ao mesmo tempo no local do evento, aumentando o risco de problemas restando poucos minutos para o início da partida.

Mesmo nas principais competições internacionais o consumo de cerveja é liberado e mesmo assim não temos registros de graves ocorrências devido a essa venda. O grande diferencial nesses locais é que todos esses frequentadores sabem que caso decidam se envolver em confusões nas dependências dos estádios (sob efeito de álcool ou não) sofrerão severas punições, o que intimida consideravelmente que elas ocorram.

*por Rodrigo Calvoso  

Leia Mais ►

08/03/2013

INOVAÇÃO RECOMPENSADA


Operários instalam o gramado sintético no Allianz Park
Uma novidade nos gramados vem dando o que falar entre os apaixonados pelo Rugby. O novo estádio do Saracens F.C., o Allianz Park, localizado em Londres e reinaugurado em fevereiro deste ano, é um dos primeiros a utilizar grama sintética em partidas de equipes profissionais do esporte.  

Mesmo não sendo mais uma novidade, a grama sintética sempre foi rejeitada pela maioria dos jogadores, que alegam que a nova superfície altera o ritmo do jogo e até determinadas definições de jogadas. Além disso, some a necessidade constante dos atletas de Rugby de terem que rolar no chão, o que segundo os jogadores, com o gramado artificial, passa a ser quase que uma tortura. De acordo com os responsáveis pela inovação, o novo piso foi instalado de forma a não gerar este tipo de atrito e a expectativa é de que sua durabilidade chegue até 8 anos.  

 Mesmo diante deste cenário negativo, os gestores do estádio, que hoje tem capacidade para receber 10.000 torcedores, decidiram investir neste segmento e garantem não estar arrependidos.  Graças a implementação do gramado artificial, hoje o Allianz Park é considerado um dos poucos estádios em condições ideais para a prática do esporte, devido ao rigoroso inverno deste ano. Além disso, a agilidade que a superfície criou permite que a arena analise a realização de diversos eventos em um curto espaço de tempo. Neste momento também está sendo estudada possibilidade de ampliação da arena para 15.000 pessoas, visando a participação da equipe nas quartas de final da Heineken Cup, uma das principais competições do calendário, que exige essa quantidade mínima de espectadores nesta fase.

Mesmo sendo um estádio simples, o Allianz Park se mostra bastante funcional, já que sua estrutura interna contempla espaço para escritórios, salões de conferências e eventos, que estão sendo bastante procurados por empresas interessadas em realizar lançamentos de produtos e torcedores que estão agendando casamentos. A torcida por sinal tem se mostrado uma importante parceira do empreendimento. Hoje já não é mais possível comprar ingressos para a temporada 2013 na categoria Gold, a mais cara de todas, pois já estão esgotadas.


Nigel Wray, proprietário da arena, e Steve Bothwick,
atleta do Saracens, líder da liga nacional inglesa de rugby
O relacionamento com os frequentadores vem sendo uma das prioridades dos gestores. O recém-inaugurado estádio hoje disponibiliza o “The Hundred Club”, um espaço executivo disponível tanto para pessoas físicas quanto para jurídicas. Os membros desse grupo poderão assistir as partidas do Saracens em um local com vista privilegiada, com direito a vinho e cerveja nos dias de jogos. Além disso, esses associados terão direito a participar das cerimônias de “Man o f the  match” (premiação para o melhor jogador da partida), assistir aos jogos dos adversários em telões e poderão ainda participar de debates com atletas não relacionados ou ex-atletas antes  dos confrontos. Outra modalidade VIP disponível no estádio é Fez Club, que é ainda mais requintada.  O torcedor que aderir ao plano assiste aos jogos no espaço gold, recebe todos os benefícios do “The hundred Club”, com um considerável diferencial, o debate antes das partidas acontece de forma privada e exclusiva com um dos treinadores da equipe! Mas nem adianta se empolgar, como dissemos anteriormente, essa modalidade de ingresso já está esgotada para esta temporada, assim como todos os ingressos para a próxima partida que ali será realizada no dia 24 de março, contra os Harlequins. 

 Mas você deve estar se perguntando: “Como vai o time na parte técnica?”. Para o seu conhecimento, o time é líder da Premiership Rugby (liga nacional), é líder do grupo 1 da Heineken Cup e também lidera do grupo 3 da LV Cup. Será que investir na inovação dá certo?

*Por Rodrigo Calvoso


Leia Mais ►

07/03/2013

ESPETÁCULO COMPLETO


 Caros amigos, hoje venho repercutir a importância das ações de marketing em um dia de jogo, nos arredores do estádio, a fim de deixar o torcedor cada vez mais perto da sua paixão, integrado, imbuído no espírito e cada vez mais se sentindo parte importante do espetáculo. Aproximando seus torcedores da sua paixão, fornecendo meios para que estes cada vez mais vistam a camisa e sintam-se como parte importante do espetáculo, perceberemos que existe uma relação recíproca entre torcedor e clube, e não estamos nos referindo apenas  aquele que não mede esforços para seguir a paixão, mas sim todos os apaixonados que darão o melhor de si para o seu clube de coração.

Destaco assim uma ação feita pelo Manchester City, para os seus dias de jogos na estação de trem Etihad Campus, que foi inaugurada em 11 de fevereiro e funciona exclusivamente em dias de jogos e possui uma passarela com acesso direto ao Etihad Stadium, estádio do Manchester City, a qual possui a voz de jogadores do time como Joe Hart, Vincent Kompany, James Milner e até o técnico Roberto Mancini dando informações aos seus torcedores.

Podemos assim entender que são os jogadores saudando os seus fieis torcedores em mais uma jornada na qual, desde antes do início da partida eles já estão unidos nos seus objetivos de tornar cada vez maior o seu time e suas conquistas, gerando um ambiente propenso de cumplicidade entre ambos, com os jogadores honrando a camisa do seu clube de coração e o torcedor fazendo a parte dele incentivando e consumindo os produtos do clube, ou seja, o céu é o limite. 


* Por Allan Benigno


Leia Mais ►

06/03/2013

NÃO É MIRAGEM


Construído no meio do deserto e com arquitetura inovadora, a próxima arena multi-uso do Al Ain, clube dos Emirados Árabes Unidos com certeza irá sacudir e revolucionar o mercado.

Inspirado pelos antigos estádios gregos, e denominado Rock Stadium, ele terá capacidade para aproximadamente 30.000 pessoas e o empreendimento emergirá do chão e a longa distancia estará camuflado pelas areias do deserto, porém ao se aproximar o torcedor contemplará uma das mais belas obras arquitetônicas do cenário esportivo, sendo que quando a utilização for a noite existirá um enorme feixe de luz saindo do interior da arena. 

Não bastasse a estética deste estádio, que certamente se tornará um ponto turístico da região, o projeto terá impacto ambiental mínimo, seguindo a nova ordem mundial de preservação do meio ambiente.

Ocupando uma área de 45.000 metros quadrados, o complexo abrigará além do estádio, um prédio de escritórios de seis andares, um ginásio de esportes. Para suportar as adversidades da região, o Rock Stadim foi projetado de forma a se tornar um ambiente agradável e também conta com uma grande estrutura de climatização Além disso, a chegada da nova arena também trará benefícios para a região, já que obras externas facilitarão a mobilidade urbana com a construção de estradas e estacionamentos, tudo isso para que os visitantes e os trabalhadores  sintam-se confortáveis.

Abaixo imagens para que você entenda melhor o projeto:





*Por Mário Bini




Leia Mais ►

05/03/2013

ESTÁDIO FLUTUANTE



Neste post vamos destacar o maior estádio flutuante do mundo, O Float at Marina Bay, localizado em Singapura. 

Com capacidade para 30.000 espectadores e suportando um peso de até 1070 toneladas o estádio é palco de jogos de futebol e principalmente de shows, eventos e apresentações, tendo em vista não ser o futebol tão atrativo nesta região do planeta.

O estádio também está apto para receber diversos tipos de shows
Resultado de um audacioso projeto de expansão e crescimento econômico da cidade, o Marina Bay conta com um centro empresarial, o CBD Central Business District, um grandioso shopping center, instituições financeiras, estádio de futebol, sede de grandes empresas daquele País,  um polo gastronômico incrível, com diversas culinárias mundiais concentradas num mesmo ambiente, tudo isso ao ar livre, em frente ao mar e com uma fantástica vista da cidade, cinemas e teatros. 

A acessibilidade ao Marina Bay, também é digno de elogios. O Sistema contempla transporte de massa com rapidez,utilizando trens, ônibus e recentemente foi lançado um serviço de taxis flutuantes no rio Singapura, que simplesmente se tornou além de um serviço  um atrativo turístico a mais da região.

Com capacidade para 30 mil pessoas, o estádio se
tornou mais uma atração turística para a cidade
 Com base no que acabamos de expor, faz-se necessário destacar que este audacioso projeto atende ao moderno conceito de arenas esportivas, que inclui geração de receitas com fontes alternativas ao esporte, associada ao desenvolvimento econômico da região. Neste caso ainda podemos observar outro ponto positivo que foi a criação de um polo turístico.

Quando será que veremos algo parecido no Brasil? Alguns clubes já acordaram para esta realidade, como exemplo o Real Madri que está construindo um Resort em Dubai.

*Por Mario Bini
Leia Mais ►

04/03/2013

NOVO SANTIAGO BERNABÉU AMEAÇADO


Um dos projetos do novo Santiago Bernabéu
Engana-se quem acredita que burocracia e as divergências políticas atrapalham apenas os projetos dos clubes brasileiros. O gigante Real Madrid se viu envolvido em uma discussão que ameaça o projeto de remodelação do seu estádio, o Santiago Bernabéu.

Recentemente o clube do presidente Florentino Perez apresentou ao público como ficará a sua arena multiuso, que passará a contar em suas dependências com um moderno hotel, edifício de 12.500 metros quadrados, que abrigará salas comerciais, estacionamento, além de uma ampla área de lazer para os associados do clube e a reforma de toda a fachada do estádio, que será modernizada.

Área em que os antigos donos alegam que não
pode ser utilizada com fins lucrativos
Toda a negociação da expansão do estádio está sendo desenvolvida com o governo da capital espanhola, que após a divulgação da intenção do Real se viu em meio a uma denúncia de que tais áreas não poderiam ser cedidas para o clube, já que quando as mesmas foram desapropriadas tinham como intuito apenas a utilização pública e a criação de espaços verdes sem fins lucrativos. 

O representante da família Ruiz-Villar, proprietária do terreno até as desapropriações, ocorridas em 1946 e em 1984, promete levar a discussão até as últimas instâncias, já que no ato da retomada das propriedades o governo alegou a necessidade do local para o bem público e, de acordo com o projeto, este espaço passaria a atender o interesse privado.

A discussão já está tramitando na justiça espanhola e liminares baseadas em decisões do plano geral da cidade prometem gerar muitas dores de cabeças para aqueles que gostariam de ver o estádio remodelado. Resta aguardar e ver como seguirão as negociações entre clube, governo e antigos proprietários dos terrenos. 

*Por Rodrigo Calvoso
Leia Mais ►